terça-feira, 22 de julho de 2008

Sabedoria

Equivalências...


É MENTIRA! BELISQUEM-ME!! É UM PESADELO!!!

Isto custa a acreditar.!
Que maravilha! O I.E.F.P. a fazer concorrência à Farinha Amparo!
Inacreditável!!!

Pelo menos diverte-nos um pouco...
Na ânsia louca de mostrar ao mundo que conseguiu transformar um país de analfas num país de letrados, eis o que Sócrates está a fazer a Portugal.

Curso de equivalência ao 9º Ano de Escolaridade como "Jogador(a) de Futebol"!

Qual Matemáticas, qual quê? Ciências e Línguas?!

Bora lá mas é mandar uns bicos na bola, que a seguir é completar equivalência ao 12º Ano como degustador de cerveja... e, com maior persistência nos treinos, ainda acaba por ser também ENGENHEIRO...

Sem palavras...

(Recebido por e-mail. Desconheço o autor.)

sábado, 19 de julho de 2008

Partida...


Hoje um amigo partiu... deste mundo, desta vida, da nossa vida.

Amigo insubstutível, especial à sua maneira, impagável.

Não consigo imaginar, pensar que nunca o mais vou ver, ouvir, tocar, falar com ele... Não consigo!


Amigo Manel,

Os teus amigos nunca te esquecerão. Ficarás para sempre no nosso coração.

Onde quer que estejas, viverás para sempre na nossa memória.

Um beijo de uma das tuas "sardonetes".

quarta-feira, 16 de julho de 2008

Sabiam que...


Que seria eu se fosse...



Vagueando pela net, encontrei este "desafio". Decidi aceitar e colocar aqui o resultado... Experimentem... o resultado pode surpreender-vos... como me surpreendeu a mim.



Que seria eu se fosse...

Se eu fosse uma hora do dia seria… 00H, porque gosto da calma silenciosa da noite…
Se eu fosse um planeta ou astro seria… O SOL, porque gosto de sentir o calor dele na pele…
Se eu fosse uma direcção seria… O POENTE, porque gosto de apreciar o pôr-do-sol…
Se eu fosse um móvel seria… UM SOFÁ, porque gosto de preguiçar…
Se eu fosse um liquido seria… ÁGUA, porque é fonte de vida…
Se eu fosse uma pedra seria… UM DIAMANTE, porque os diamantes são eternos e eu ainda tenho tanto que quero ver e viver…
Se eu fosse uma árvore seria… UM SOBREIRO, porque são fortes e têm raízes profundas, e resistem às tempestades…
Se eu fosse um fruto seria… UMA MANGA, porque adoro frutos exóticos…
Se eu fosse uma flor seria… UM GIRASSOL, porque é grande, majestoso e brilhante…
Se eu fosse um clima seria… TROPICAL, porque adoro calor e sol…
Se eu fosse um instrumento musical seria… UMA GUITARRA ACÚSTICA, porque gosto de versões “unplugged”…
Se eu fosse um elemento seria… O FOGO, porque sou uma apaixonada…
Se eu fosse uma cor seria… VERMELHO, porque é a cor da paixão…
Se eu fosse um animal seria… UM GATO, porque são independentes e têm personalidade…
Se eu fosse um som seria… UMA GARGALHADA, porque não há nada melhor do que rir…
Se eu fosse uma música seria… DOS ANOS 80, porque nunca se fez tanta boa música como nessa década…
Se eu fosse um estilo musical seria… ROMÂNTICO, porque simplesmente gosto de romantismo…
Se eu fosse um sentimento seria… AMIZADE, porque é a mais pura forma e manifestação do Amor…
Se eu fosse um livro seria… “O PRINCIPEZINHO”, porque dele se pode tirar uma bela lição de vida…
Se eu fosse uma comida seria… UMA FRANCESINHA, porque adoro e me faz lembrar o meu Porto…
Se eu fosse um lugar seria… UMA PRAIA, porque adoro sol e mar…
Se eu fosse um gosto seria… UM DOCE, porque sou gulosa…
Se eu fosse um cheiro seria… O CHEIRO DA TERRA MOLHADA, porque me lembra renovação…
Se eu fosse uma palavra seria… AMO-TE, porque amar é preciso… e é tão bom…
Se eu fosse um verbo seria… BEIJAR, porque gosto, simplesmente…
Se eu fosse uma loucura seria… UMA DANÇA À CHUVA, porque gosto da frescura e suavidade das gotas da chuva a cair na minha pele…
Se eu fosse peça de roupa seria… UMA CALÇA JEANS, porque pode ser, ao mesmo tempo, confortável e “chique”…
Se eu fosse uma parte do corpo seria… O CORAÇÃO, porque só com ele podemos “ver” o que de melhor que a vida nos oferece…
Se eu fosse uma expressão facial seria… UM SORRISO, porque não existe nada melhor para dar e receber…
Se eu fosse um filme seria… ''A CIDADE DOS ANJOS”, porque é uma das mais belas histórias de amor que poderá algum dia existir…
Se eu fosse um número seria…O 7, porque é o número da perfeição…
Se eu fosse uma estação seria… A PRIMAVERA, porque se sente a vida renascer…
Se eu fosse uma frase seria… “CADA CRIANÇA, AO NASCER, TRAZ-NOS A MENSAGEM DE QUE DEUS AINDA NÃO PERDEU A ESPERANÇA NOS HOMENS.” (Tagore), porque as crianças são o melhor do mundo…

Inacreditável!


Brasil: Polícia mata outra vez por engano...


terça-feira, 15 de julho de 2008

Olhando para o espelho

(Esta foto é minha. O olho fotografado, é o meu. Não usem sem minha autorização, tá?)

"E por que vês o argueiro no olho do teu irmão, e não reparas na trave que está no teu olho?" (Mateus 7:3)


Conta-se a história de um homem que caminhava junto com um anjo. O homem reclamava dos seus vizinhos. "Eu nunca vi um grupo tão desprezível de pessoas como os desse lugar.", disse ele. Elas são más, egoístas, avarentas e indiferentes às necessidades do próximo. E o pior é que estão sempre a falar mal uns dos outros".

"É realmente assim?" perguntou o anjo.
"Sim, é", respondeu o homem. "Veja a pessoa que está a vir na nossa direcção. Eu conheço o seu rosto mas não me lembro do seu nome. Veja os seus pequenos olhos cruéis, como os do tubarão, lançando setas para aqui e para lá, e a severidade da sua boca! É um bajulador, vive se esquivando, andando às ocultas em vez de caminhar às claras". "Você é muito esperto em reparar nisso tudo.", disse o anjo, "Mas há uma coisa de que você não se percebeu: o que está à nossa frente é um espelho".

É incrível a nossa capacidade de descobrir os erros dos outros! Uns falam demais, outros são ignorantes, há os que são mesquinhos e orgulhosos, os que exageram na soberba e não se percebem do valor dos que estão ao redor. Sim, vemos tudo isso com detalhes, mas não percebemos o quando tudo isso é uma imagem de nós mesmos. Se estamos de mal com a vida, todos são insuportáveis. Se estamos sempre de mau humor, a família, os vizinhos, os colegas de trabalho são intragáveis. Se fracassamos nos nossos empreendimentos, a culpa é de todos com quem lidamos. Os únicos certos e sem defeitos somos nós!

Ppppffffffffffffffffffffffffffff!!!

Só depende de nós mudar esta realidade. Triste e ridícula realidade. Somos os melhores, os maiores, infalíveis? NÃO!

Vamos mudar a nossa atitude diária? Olhar em volta e ver com os olhos do amor, da amizade, do respeito, todos os que nos rodeiam. Ver os defeitos mas também as virtudes, o que de bom cada um tem. E colocar um sorriso no rosto. Com toda a certeza o dia vai correr bem melhor!

Façam favor de ser felizes!

sexta-feira, 11 de julho de 2008

O valor das coisas...

"O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis."

(Fernando Pessoa)

Momentos inesquecíveis…
O cheiro a café do pequeno-almoço que a minha mãe me trazia à cama aos fins-de-semana, junto com um bom dia radioso e um beijo cheio de amor… Saudades…
O contemplar o pôr-do-sol junto de um(a) amigo(a)… em silêncio. A melhor conversa que podes ter…
O prazer de atingires uma “meta” depois de muito trabalho e esforço…
O primeiro beijo…

Coisas inexplicáveis...
A minha fé… Não consigo explicar por palavras... Só sentindo...
Alguém me dizer: és bonita. … Mistério…
Uma amizade profunda… que começou não sabes como e se tornou tão vital como respirar…
O amor… apaixonar-se… isso não se explica… sente-se. Só.

Pessoas incomparáveis…
Jesus Cristo… A trave mestra da minha vida, o meu refúgio, a minha força… Personalidade tão incomparável que desde sempre, hoje e para sempre causará polémica, incomodará, agitará gerações e corações…
Os meus pais… os melhores do mundo e que fizeram de mim quem eu sou hoje… com tudo de bom e mau… ninguém é perfeito.
A minha melhor amiga… É peça única. Fizeram-na e deitaram o molde fora.
Os meus amigos… cada um à sua maneira… porque se os escolhi para amigos é porque são especiais… uns mais que outros mas todos especiais…

quinta-feira, 10 de julho de 2008

Wasted Time



"I remember what you told me before you went out on your own:
Sometimes to keep it together we got to leave it alone.
So you can get on with your search, baby,
And I can get on with mine,
And maybe someday we will find
That it wasn't really wasted time."

(Eagles- Wasted Time)

Conversa da treta... no tasco...

Conversa num tasco perto da minha casa, ao balcão do respeitável estabelecimento:

Velhote com 103 anos – “Faço 103 anos hoje.”
Dono do Tasco – “103? Ena. Está muito bem para a idade.”
Velhote – “Como? Não ouço bem.”
Dono – “Você é duro de ouvido, não é?” (num tom elevado de voz)
Velhote – “Gosto muito!”

Mudando de conversa…
Dono – “O cão lá fora na esplanada é seu?” (dito quase aos gritos… a dureza de ouvido)
Velhote – “É meu, sim. E fala comigo.”
Dono (espantado) – “Ai fala? E como é que você fala com ele?”
Velhote – “Chamo assim: Piu piu piu”.
Dono (perdido de riso) – “E ele responde-lhe?”
Velhote – “Claro. Assim: “Au”.”

Surreal…

Numa mesa ao lado, um dos clientes, já bem bebido, numa algazarra desenfreada. O dono já a passar-se com ele, diz-lhe:

- J., pára de beber, cala-te e vai p’ra casa dormir! (num misto de riso e zanga)
- Oh L. …Vais-me pôr fora daqui? (com ar de desafio)
- Olha que eu ponho mesmo. Pego-te pelo fundilho das calças e sais num instante. (já a azedar)
- Pois olha, faz isso mesmo. Até me podes bater. Levo-te a Tribunal e até já sei quanto vou receber de indemnização: são € 70,00 por uma bofetada. E se ficar com nódoa negra são € 90,00! (armado em espertalhão)
- Deixa de ser parvo e vai-te embora. Vai dormir que tás é com uma serumba que nem te aguentas. (perdido de riso)
- Eu vou e nunca mais cá venho comer moelas ou costela ou francesinha. Mas amanhã venho cá comer caracóis!!! (com uma cara zangada)

Gargalhada geral.
É o que dá beber como se não houvesse amanhã…

terça-feira, 8 de julho de 2008

Este mundo enlouqueceu!!!

Se cá a “je” já estava convencida que este mundo enlouqueceu… ontem fiquei com a certeza absoluta.

Acompanhei a minha boss (que é solicitadora de execução) numa diligência (penhora de bens móveis) e chegadas à casa do executado (um senhor de aí uns 60 e picos, setenta anos), este muito amavelmente convidou-nos a entrar na sua propriedade e sentarmo-nos numa mesa de granito, ao sol, ao lado de uma árvore. Em cima da mesa, 4/5 seixos, grandes (já vão perceber o porquê da descrição à Eça de Queirós).

Começa a minha boss a explicar ao que ia…
- A boss: Sou a C., sou solicitadora de execução e venho aqui a mando do Tribunal para fazer uma penhora de bens móveis e duas citações.
- O executado: Mas penhora porquê??? (nunca sabem que têm dívidas… pois…)
- A boss: Uma dívida ao banco XPTO.
- O executado: Mas dívida de quê???
- A boss: De uma livrança passada à empresa de crédito OTPX (que tinha sido entretanto incorporada no banco XPTO).
- O executado: Mas eu não devo nada a esses gatunos. Nem sei quem são eles!!! (não sabia quem eram mas não lhes devia nada… certo…)
- A boss: O OTPX faz parte do banco XPTO e por isso a dívida é a ele.
- O executado: Gatunos, malandros, filhos da p**a! Eu vou à agência deles e desfaço-os. Mato-os todos! Sou construtor e ponho lá uma bomba que os f**o!! Minha senhora (a falar para a boss) com todo o respeito!

Aqui a “je”, que já estava a ficar farta da conversa da treta (e de tanto respeito), levantei-me e fui-me colocar debaixo da árvore, à sombra. Sai-se o executado: “Menina, não tenha medo que eu não faço mal.” Ao que eu retorqui: “Que medo? Levantei-me porque não posso estar com a cabeça ao sol muito tempo.”

Vai daí, a boss diz-lhe que tinha de citar a esposa dele, também executada.

Bem… foi o diabo!!! Melhor… foi muito mau e acabou pior.

Short version… o energúmeno do executado desatou a insultar-nos de “suas filhas da p**a, suas p**as, suas vacas… ponham-se daqui p’ra fora. Aqui não citam ninguém!!! Pego nesta pedra (um dos seixos) que to mando à cabeça e mato-te, sua p**a!”

Ora, tinha chegado a hora de nos pormos a andar (até porque ainda tínhamos muito que fazer nessa tarde) e dissemos: “Pronto, chefe. Não quer, não quer. Vamo-nos embora e depois isto resolve-se de outra maneira.”

Já nos estávamos a virar e a dirigir ao portão quando o energúmeno atira-se à minha boss e puxa-lhe o cabelo (sempre a insultar-nos de p**a e afins). Ela vira-se e ela rouba-lhe os papéis da citação da mão. A minha boss consegue recuperá-los depois de levar um estalo do energúmeno. Sim um estalo! Eu meto-me e ele agarra-me um braço e eu: “Chefe. Veja o que vai fazer. Acalme-se ou vou chamar a GNR!” Ele larga-me, vira-se, e depois de esgadanhar a boss rouba-lhe o processo e torce-o todo e a dizer que o ia rasgar (como se não houvesse o original no Tribunal… estúpido!)

Eu disse à boss: “C., deixa-o ficar com o processo. Depois resolve-se. Dá-se conhecimento ao Juiz e depois ele decide em conformidade. Vamos embora.”

Dirigimo-nos finalmente à saída e vem o energúmeno a correr, encosta-se ao portão e diz à boss que tinha o telelé na mão: “Tu não vais ligar a ninguém, sua p**a! Senão dou-te com este ferro que te f**o! Mato-te! E daqui ninguém sai, suas p**as!”

Eu já a passar-me dos carretos e a pensar que tinha de dar no focinho ao velho e esquecer a minha boa educação que me obriga a respeitar os mais velhos: “Mas então como é... Primeiro quer-nos daqui para fora e agora não nos quer deixar sair??? Olhe que eu chamo mesmo a GNR!!!” Ao que me responde ele: “Que venham que eu mato-os a todos!”… Cheio de força e coragem, o velho…

Quando eu já me preparava para atirar com a pasta que tinha mão ao chão, dominar o velho para lhe tirar o ferro e pô-lo quieto para a boss poder chamar a GNR, vem uma menina aí duns 10/11 anitos (neta do energúmeno), a chorar, a dizer ao avô: “Avô! Isto não é maneira de resolver os problemas. As coisas não se resolvem à pancada!”

Abençoados pais que assim a educaram. O velho parou e disse que pela neta nos deixava sair… como se nós fossemos lá ficar se não fosse ela! Se não era a bem era a mal!

Estava eu a passar o portão, sai-se o velho: “Desculpe, menina, com todo o respeito.” Passei-me! Olha-me só a lata do velho! Só lhe respondi: “Saia-me da frente que eu já nem o vejo! Saia!!” E saímos as duas.

Nova saraivada de insultos enquanto nos dirigíamos ao carro: “Suas p**as, suas vacas! E tu (para a minha boss que vinha atrás de mim) tens um cu de brolho!” Responde-lhe ela: “Tenho mas é meu e não devo nada a ninguém!!” (Amei!) E falando em “cus”… o energúmeno ficou com “cara de cu” a olhar do portão… hehehe…

Resultado: a boss com várias escoriações, papéis rasgados e sem processo. O resto da tarde perdida em declarações no posto da GNR e na advogada para tratar da queixa-crime e do pedido de indemnização.

E mais uma razão porque digo que este mundo enlouqueceu… depois da consulta/conversa com a advogada, que é uma amiga comum, conta-nos ela: “Hoje estava numa inquirição no Tribunal e segundo me contou uma das minhas testemunhas, ao que parece uma testemunha da parte contrária estava a fazer p*******os (aquele gesto feio, em que fica o dedo do meio em pé entre o anelar e o indicador, e a abanar a mão…) em direcção à Dra. Juíza que estava a dirigir a inquirição! Isto tá tudo doido!!!”

Lindo, não é? Para acabar a tarde em beleza, não podia ser melhor (ou pior, digo eu cus nervus!).

É como diz o meu amigo… Há coisas fantásticas, não há?”

P.S.: Traduzindo “cu de brolho”… É uma expressão usada aqui no Norte que quer dizer “cu grande, pesado”. O meu saudoso papi dizia-me a rir: “Anda, cu de brolho!”… quando queria que eu andasse mais depressa. Papizices… :)

segunda-feira, 7 de julho de 2008

Estou espantada!

Coloquei, hoje, um contador de visitas no blog...

Espanto dos espantos. Já tenho 35 visitas até agora. E nunca falei a ninguém do meu blog.

Eu sei... eu sei... Para quê ter um blog se ainda não disse a ninguém? Perguntam vocês... Porque me apetece... e também quando me apetecer... faço publicidade. Prontos.

Mas estou contente. 35 visitas em poucas horas... já é alguma coisa.

Como diz um amigo meu... Há coisas fantásicas, não há?

sábado, 5 de julho de 2008

Life...

"Life isn’t about waiting for the storm to pass. It’s about learning to dance in the rain."

Desconheço o autor da frase... mas lá que ele era inteligente... era. Melhor, era sábio.

sexta-feira, 4 de julho de 2008

De volta!

Estou de volta, depois de mais de um ano sem nada aqui escrever.

Para ser muito honesta, e apesar de gostar muito de cirandar pela blogosfera... até me esqueci do meu blog (nem para mim sou boa... :P).

Vamos ver se é desta que isto avança... cresce... evolui. Não prometo nada de especial. Só prometo que cá virei todos os dias, se assim a vidinha o permitir, postar qualquer coisita. Nem que seja o meu estado de humor.
Até ao meu regresso.