quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Em jeito de despedida de 2008...

... não vou fazer nenhuma retrospectiva da minha vida neste ano que finda, mas vou deixar um texto que recebi de uma amiga junto com a prenda de Natal, e que retrata muito do que vivi em 2008. Coisas boas, coisas excelentes, coisas más, coisas muito más.

As coisas boas e excelentes, espero que se multipliquem em 2009. As más e muito más, que não se repitam. Se a vida deixar...
"Já amei e fui amada. Já fui amada e não amei...
Já escondi um AMOR com medo de perdê-lo, já perdi um AMOR por escondê-lo...
Já tentei esquecer pessoas inesquecíveis...
Já tive medo de perder alguém especial e acabei por perder...
Já expulsei pessoas que amava da minha vida, já me arrependi por isso...
Já passei noites a chorar até cair no sono... Já fui dormir tão feliz, ao ponto de nem conseguir fechar os olhos...
Já acreditei em amores perfeitos, já descobri que eles não existem...
Já amei pessoas que me decepcionaram, já decepcionei pessoas que me amaram...
Já gritei e saltei de tanta felicidade... Já vivi de amor...
Já senti muita falta de alguém, mas nunca lhe disse... Já gritei quando deveria calar, já calei quando deveria gritar...
Já sonhei demais, ao ponto de confundir com a realidade...
Já cai inúmeras vezes pensando que não iria me reerguer... já me reergui inúmeras vezes achando que não cairia mais...
Já liguei para quem não queria apenas para não ligar para quem realmente queria...
Já passei horas a frente do espelho tentando descobrir quem sou... já tive tanta certeza de mim...
Já menti e arrependi-me depois, já falei a verdade e também me arrependi... Já fingi não dar importância às pessoas que amava, para mais tarde chorar quieta no meu canto...
Já sorri chorando lágrimas de tristeza, já chorei de tanto rir...
Já perdoei erros quase imperdoáveis... Já fiz coisas por impulso...
Já me decepcionei com pessoas que nunca pensei me decepcionar... Já acreditei em pessoas que não valiam a pena, e por isso já deixei de acreditar algumas vezes nas que realmente valiam...
Já chamei pessoas próximas de "amigo" e descobri que não o eram... Algumas pessoas nunca precisei chamar de nada e sempre foram e serão amigos...
Já deixei de falar, muitas vezes, o que penso para agradar uns, outras vezes falei o que pensava para magoar outros...
Já fingi ser o que não sou para agradar uns, já fingi ser o que não sou para desagradar outros...
Já contei piadas e mais piadas sem graça, apenas para ver um amigo feliz...
Já inventei histórias com final feliz para dar esperança a quem precisava...
Já dei gargalhadas quando não podia... Já fiz juras eternas...
Já segurei nas mãos de alguém por medo, já tive tanto medo, ao ponto de nem sentir as minhas mãos...
Já chamei pela minha mãe no meio da noite fugindo de um pesadelo... mas ela não apareceu e foi um pesadelo pior ainda...
Já chorei ouvindo musica e vendo fotos...
Já fui levada nos braços... Já segui pelo atalho errado...
Já tive medo do escuro... Já saí de casa para sempre, e voltei no outro instante...
Já pensei que fosse morrer de tanta saudade...
Já chorei por ver amigos partindo... a vida, por vezes, é mesmo um ir e vir sem razão...
Mas, Vivi... Vivo!!! Não passo pela vida... Vivo também!!!... É assim que a vida deve ser levada, aproveitar tudo o que ela nos dá... Há momentos difíceis, mas esses só servem para nos tornar mais fortes.

[…]

Não me dêem fórmulas certas, porque eu não espero acertar sempre...
Não me mostrem o que esperam de mim, porque vou seguir o meu coração!
Não me façam ser o que não sou, não me convidem a ser igual, porque sinceramente sou diferente!
Não sei amar pela metade, não sei viver de mentiras, não sei voar com os pés no chão!
Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma para sempre! "
(Clarice Lispector)
De 2008, guardo as boas memórias...
video

terça-feira, 30 de dezembro de 2008

12 Dicas para todo o Ano 2009


Recebi por e-mail e gostei. Partilho com todos.

Vale a pena tentar!


1. Por mais que te falem de tristezas... continua a Sorrir.
2. Por mais que te demonstrem rancor... continua a Perdoar.
3. Por mais que te tragam decepções... continua a Confiar.
4. Por mais que te ameacem de fracasso... continua a procurar a Vitória.
5. Por mais que te apontem os erros... continua a Acertar.
6. Por mais que discutam sobre a ingratidão... continua a Ajudar.
7. Por mais que noticiem a miséria... continua a acreditar na Prosperidade.
8. Por mais que te falem de destruição... continua a Construir.
9. Por mais que te preocupem doenças... continua a vibrar Saúde.
10. Por mais que exibam ignorância... continua a exercitar a tua Inteligência.
11. Por mais que te contem mentiras... continua a procurar a Verdade.
12. Por mais que plantem o mal... continua a semear o Bem.

Um Ano de 2009 cheio de coisas boas...

... destas para as meninas... ;)


... e destas para os meninos. ;)




Que o ano novo que vai começar vos traga paz, saúde e amor. Muito amor!

Bjinhos com sabor a champagne
Majo

sábado, 27 de dezembro de 2008

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

FELIZ NATAL A TODOS!!!


Que este Natal não seja só de prendas, bacalhau, bolo-rei, arroz-doce e rabanadas.

Que seja também de saúde, amor e paz.

Bjinhos cheios de carinho para todos.

Majo

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

O meu Natal


Não é novidade que eu bata à Tua porta agora. Afinal, falo Contigo todos os dias, pedindo orientação e forças para os embates da vida.

Mas sabes, Jesus, o Natal é diferente!

Paira no ar uma sensação de alegria, de paz, de esperança, de fraternidade entre os homens.

É como se todos os Teus Santos Anjos invadissem a Terra, trazendo presentes de luz. Somos invariavelmente acometidos por uma cintilação de amor, na sua mais alta e delicada expressão.

Mestre Jesus, eu Te agradeço esta data bendita porque ela prova ao meu coração que há um mundo bem melhor, pelo qual vale a pena todos os esforços e todos os embates.

Tomada de profunda gratidão, neste Natal eu deposito nas Tuas mãos amorosas a minha vida, os meus sonhos e esperanças, bem como a vida, os sonhos e esperanças de todos que me circundam e de todos os meus amigos, reais ou virtuais.

Porque o Natal, Jesus, tem o condão miraculoso de lembrar-me que sou Una Contigo, com Tudo e com Todos, e que as alegrias e bem aventuranças do meu próximo, são as minhas próprias alegrias e bem aventuranças.

E finalmente, meu Jesus, que eu seja capaz de estender este estado de espírito agradecido, fraterno e amoroso por todos os demais dias da minha vida.

Com todo o meu amor,
A Tua serva dedicada

Pianista virtuosa

Eu tenho um gosto assim a modos que um bocadinho ecléctico em termos de música. Tanto gosto de ouvir música pop, como fado, música clássica, blues, jazz, gospel... depende do meu estado de espírito do momento.

Nunca gostei de ouvir tocar piano, salvo raríssimas excepções. Mas esta pianista do video abaixo, amei. Digo mais: pagava para a ver dar um concerto! Divinal!!!
video

Ora digam lá se tenho ou não razão. ;)

domingo, 21 de dezembro de 2008

Crise? Qual crise?!?! (parte II)

Finalmente percebi a razão para a crise que atravessamos. Qual má governação qual carapuça! Crise generalizada? Naaaaaaaaaaaaaa. E sempre a culpar os "coitadinhos" dos políticos... Shame on us!!!

Percebi que para tudo há solução... até para a crise!



Não sei quem é o "crânio" que chegou a esta "brilhante" conclusão. Mas admito: nunca tal me teria passado pela cabeça!

Assim sendo, toca a vender as televisões (e os plasmas também... não parecem televisões mas são! E digo vender porque desligar só não funciona, não vá o Diabo tecê-las e atiça-nos a vontade e lá ligamos a tv só para espreitar e perdemos uns minutos preciosos para sairmos da crise) e a trabalhar duro. Sete dias por semana e 24 horas por dia. E se conseguirmos vencer o sono e ainda trabalhar algumas horitas de noite... saimos da crise num "abrir e abrir de olhos" (fechar os olhos não porque corremos o risco de adormecer e ficarmos "a ferrar o galho" umas valentes horas e lá se vai a solução para a crise).

sábado, 20 de dezembro de 2008

Especial "PARABÉNS!"

Como hoje a Salto-Alto faz anos, decidi fazer este post especial para ela.

Podem vocês dizer: "Mas, então, tu nem a conheces pessoalmente!"

Pois não conheço. Mas já faz parte da minha vida, do meu dia-a-dia, mesmo que seja virtual. E porque gosto da sua postura. E porque me faz lembrar uma amiga, também advogada, mais ou menos da mesma idade, que tem a mesma saudável "loucura" que ela.

E faço este post porque me apetece.

E quem sabe começo aqui uma tradição... Fazer um post especial de Parabéns para cada um dos vizinhos bloguistas que visito e que visitam o meu blog.

Saltinho: Especial para ti... com desejos que tenhas um dia muito feliz e cheios de mimos, na companhia dos que mais amas.


Bjinho grande

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Gandas malucos!!!

Podia-lhes dar para pior. Sei lá... tipo, atirar-se de um prédio de 100 andares abaixo, em voadura livre e só abrir o pára-quedas a 100 metros do chão e sem rede! Coisas assim fáceis de fazer...

video

Que mais irão inventar para fazer subir a adrenalina???

Fonixxxxxxxxx!!!

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Num tribunal...

... de uma pequena cidade, o advogado de acusação chamou a sua primeira testemunha, uma avó de idade avançada.

Aproximou-se da testemunha e perguntou:

- D. Ermelinda, a senhora conhece-me?

- Claro. Conheço-te desde pequenino e francamente, desiludiste-me. Mentes descaradamente, enganas a tua mulher, manipulas as pessoas e falas mal delas pelas costas. Julgas que és uma grande personalidade quando não tens sequer inteligência suficiente para ser varredor. É claro que te conheço.

O advogado ficou branco, sem saber que fazer. Depois de pensar um pouco, apontou para o outro extremo da sala e perguntou:

- D. Ermelinda, conhece o defensor oficioso?

- Claro que sim. Também o conheço desde a infância. É frouxo, tem problemas com a bebida, não consegue ter uma relação normal com ninguém e na qualidade de advogado, bem... é um dos piores que já vi. Não me esqueço também de referir que engana a mulher com três mulheres diferentes, uma das quais, curiosamente, é a tua própria mulher. Sim, também o conheço. E muito bem.

O defensor, ficou em estado de choque.

Então, o juiz pediu a ambos os Advogados que se aproximassem do estrado e com uma voz muito ténue diz-lhes:

- Se algum dos dois perguntar à p**a da velha se me conhece, juro-vos que vão todos presos!!!

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Publicidade...


Hoje, ao folhear uma revista de moda no cabeleireiro, deparei-me com a imagem acima.

E perguntei a mim própria: “Será que quem cria estas campanhas de publicidade acha que eu vou a correr comprar este perfume só porque tem um homem podre de bom na imagem? Será que pensam que eu acho que o meu companheiro, se usar tal perfume, vai ficar igual ao homem da foto???

NOT!!!

Então alguém me explique qual a razão de só usarem homens bonitos e de físico perfeito em publicidade. Será que os homens normais não podem usar tal perfume? Ou será que nos tomam a todos (homens não tão bonitos e perfeitos e sua respectivas companheiras) por uma cambada de acéfalos anormais??? Sinto-me insultada!!! GRUNF!!!

Mas isto sou só eu armada em esquisita… digo eu cus nervus!

sábado, 13 de dezembro de 2008

"Ténicas" de tradução de inglês... ou não!!!


Passar duas noites seguidas a servir de intérprete entre um português que não sabe explicar bem o que pretende e um indiano que falo um inglês macarrónico... é dose!

Hoje, depois de duas horas entre um e outro, cansada, cheia de sono, e com uma moleza do tamanho de um camião… os meus dois neurónios, o Tico e o Teco, fizeram um complô contra mim e fugiram de fds! E ainda tenho o todo o dia de amanhã para andar armada em tradutora!

SOMEONE HELP ME, PLEASEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE!
Adenda: Depois de um amigo que costuma vir cuscar o meu blog (mas que nunca comenta por escrito! grunf!) me ter chamado à atenção para erro no título do post, "Ténicas...", esclareço que escrevi assim com erro propositadamente. "Técnicas" de Tradução de Inglês" foi uma das disciplinas que tive quando frequentei o 11º ano e, em jeito de brincadeira, diziamos "ténica" porque não entendiamos nada da técnica em si...

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Be afraid... very afraid...

Volto a Jim Morrison.

E não. Não vai ser mais um post/testamento (credo! só depois vi que era tãaaooooo comprido... ups!).

Lembrei-me de procurar alguns videos no Youtube para ouvir e relembrar algumas músicas dos The Doors. E lembrei-me da música "Light my fire".

E deparei-me com isto!



Que Horrrrrrrrrroooooooorrrrrrrrrrrrrrrrrrrr!

Fiquei traumatizada.

Nunca mais vou conseguir ouvir os "The Doors" da mesma maneira.


P.S.: Ouvi dizer que o Jim desapareceu da tumba. Segundo os boatos, depois de ver/ouvir o video acima... decidiu não esperar pelo Juízo Final e foi inaugurar o Inferno mais cedo. Disse ele que era preferível acabar com a agonia de vez!

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Novo desafio (É o que dá ser cusca... grruuunnnfffff!)

Isto de andar a cuscar os blogs favoritos dá nisto. Mais um desafio. Mas como achei este muito interessante, cá vai.


O desafio é o seguinte:

1) Agarrar no livro mais próximo.
2) Abrir na página 161.
3) Procurar a 5a frase completa.
4) Colocar a frase no blog.
5) Não utilizar a melhor frase nem o melhor livro! Usar mesmo o livro que está mais próximo!
6) Passar a 5 pessoas.


Livro (que estava em cima da almofada da cama ao meu lado): "Tudo o que temos cá dentro" de Daniel Sampaio


Frase: "[...] um caminho muito estreito por entre os pinheiros a terminar na praia."


Tal como foi sugerido pelo Furetto, passo aos 5 primeiros que lerem este post. Se lhes apetecer, claro. ;)

Jim Morrison - The Lizard King


Jim Morrison e os “The Doors” fazem parte do meu imaginário infantil e juvenil. E adulto também, convém reforçar. Até porque gosto da música que ele fazia. E das suas letras. E do que escrevia.

Descobri, aqui há uns anos, que além de um brilhante músico/intérprete, o Rei Lagarto sabia “sentir”, pôr no papel os sentimentos. Pena que “partiu” tão cedo… o mundo ficou mais pobre.

Aqui ficam alguns dos seus “pensamentos” que, de uma maneira ou outra, me tocaram e me fizeram pensar…

That's what real love amounts to: letting a person be what he really is. Most people love you for who you pretend to be. To keep their love, you keep pretending, performing. You get to love your pretence. It's true, we're locked in an image, an act, and the sad thing is, people get so used to their image, they grow attached to their masks. They love their chains. They forget all about who they really are. And if you try to remind them, they hate you for it, they feel like you're trying to steal their most precious possession.

É verdade. Muitos de “nós” fingem ser quem não são. E se alguém “nos” tenta chamar à atenção, reagimos mal. Achamos que os outros estão errados e “nós” sempre certos.
Vamos tirar as nossas “máscaras” e mostrar quem realmente somos. Os “outros” merecem… e “nós” também.

The most important kind of freedom is to be what you really are. You trade in your reality for a role. You trade in your sense for an act. You give up your ability to feel, and in exchange, put on a mask. There can't be any large-scale revolution until there's a personal revolution, on and individual level. It's got to happen inside first. You can take away a man's political freedom and you won't hurt him- unless you take away his freedom to feel. That can destroy him. That kind of freedom can't be granted. Nobody can win it for you.

É isso mesmo. Tirar a “máscara”, deixar o “palco” e começar a “viver”. Deixar de “representar”.
Quando começamos a representar um papel deixamos de ser nós próprios, transformamo-nos numa “farsa”… deixamos de ser “livres”.
E tal como diz Jim… a nossa liberdade de “sentir”, ninguém a pode conquistar por nós! Temos de ir à luta!!!

People are afraid of themselves, of their own reality; their feelings most of all. People talk about how great love is, but that's bullshit. Love hurts. Feelings are disturbing. People are taught that pain is evil and dangerous. How can they deal with love if they're afraid to feel? Pain is meant to wake us up. People try to hide their pain. But they're wrong. Pain is something to carry, like a radio. You feel your strength in the experience of pain. It's all in how you carry it. That's what matters. Pain is a feeling. Your feelings are a part of you. Your own reality. If you feel ashamed of them, and hide them, you're letting society destroy your reality. You should stand up for your right to feel your pain.

Esta… pôs-me a pensar. Medo dos sentimentos, dos nossos sentimentos, medo de sentir. Resumindo, e sem “tretas”, medo de amar… porque muitas vezes isso também quer dizer “sofrer”. O que também não quer dizer “necessariamente” que seja obrigatório “sofrer”.

E tal como me disse um amigo, deixar de amar, de se entregar ao amor porque se tem medo de sofrer, é o mesmo que ter medo de viver. Diz ele: “Medo de amar? O sentimento de amor ou se sente ou não se sente. Não querer sair magoado? Não está a dar a oportunidade de amar e ser amado. Mesmo que depois não seja o que se estava à espera, não deve haver arrependimentos nem sofrimentos… se algum dos dois sofrer, acho que valeu a pena porque deram oportunidade ao amor…”

Fez-me chegar à conclusão que tenho o direito de amar e falhar. Se falhar, tenho o direito de mostrar a minha dor porque o amor acabou. Mas também posso dizer com toda a segurança: Amei e fui feliz.

Como já postei isto noutras andanças (outro blog meu), alguém me deixou este comentário:

Não podemos deixar de tropeçar nos Doors, claro (quem tem idade para isso).
Mas não valorizemos utopias imaginárias para além do valor que têm: Utopias! Que ocupam o seu lugar fundamental, estruturante na forma de ver e idealizar. E não mais que isso. Quem não consegue atingir o nirvana da perfeição e a felicidade suprema (tretas, obviamente), não fica por isso diminuído. Coxo talvez, mas mesmo assim humano. Por isso mesmo frágil e imperfeito. Felizes os que são capazes de serem felizes sem serem perfeitos, com todas as suas maleitas e incapacidades.
Temos o direito de sermos como somos, de mostrar as forças e as fraquezas, de ser compreendidos sem ser julgados.
Amar é um privilégio. Não ama quem quer. De um lado o céu, do outro o inferno. Acredito que, mesmo assim, deve valer a pena. Dizem que sim.

É verdade. As utopias têm o valor que têm e ponto final. Por isso são “utopias”. Eu gosto mais de “sonhos”. E sonhar é bom e faz bem à alma. Até podem ser sonhos-utopias, mas quem me vai impedir de os sonhar? Ninguém… e enquanto sonho sou feliz…

E perfeitos? Não somos certamente. Ninguém é. Mas são precisamente as “imperfeições” que nos fazem únicos. Humanos. Porque não existe nada mais imperfeito que o ser humano.

Eu sou feliz com as minhas imperfeições. E SIM, tenho o direito de ser como sou: imperfeita! “What you see is what you get!” Nem mais nem menos. Nunca pretendi ser o que não sou.

Ser compreendida? Não espero que todos me compreendam… não é fácil, admito. Será talvez o privilégio de alguns, muito poucos. Chegam os dedos de uma mão para os contar… Não porque os restantes não atinjam, mas porque eu não quero…

Ser julgada? Bem… isso poderia preocupar-me se viesse da parte de alguém importante na minha vida. Quanto aos outros… “Love me or hate me... I’m still gona shine!”

E amar é um privilégio? Então eu sou decididamente uma privilegiada. Porque eu amo! E mais não digo…

domingo, 7 de dezembro de 2008

Bendito vinho tinto

Descobri a razão porque gosto tanto de vinho tinto… maduro… alentejano… ou não.


(para aumentar, clique aqui)

Deixo uma sugestão: Quinta do Cardo. Experimentem… de preferência a degustar com um bom queijo… uma lareira… e uma boa companhia. ;)

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

De volta... do inferno!

Alguns (ainda que poucos... mas bons!) devem ter dado pela minha ausência da blogosfera. Pois é. O meu querido pc (imaginem um rilhar de dentes como música de fundo...) decidiu pifar! E antes de um fds prolongado. E quando eu tinha tanto que fazer e precisava de um computador e internet. E quando precisava da informação que ele tinha nas suas entranhas. Quase o mandei ver a cor da parede cá de casa mais de perto!


Mas pronto. Ao menos deu tempo para me desfazer de algum do pó que pairava cá por casa depois das obras. Do mal o menos.

Mas a desgraça não ficou por aqui... naaaaaaaaaaaaaaaão.

Pensam vocês... "Ela podia ter aproveitado e ir dar um passeio...". Pois... tinha sido bom, não tinha? Mas não foi! O meu chaço decidiu pifar também! Só quase não o mandei ver a cor do muro mais de perto... porque é muito pesado e não conseguia pegar nele... e porque depois ficava mais cara a reparação!

E pensam vocês outra vez... "Ok. Sem pc, sem carro... podia ter pegado no telemóvel e ligar para um(a) amigo(a) e conversar." Pois... mas não liguei. E sabem porquê??? Porque o desgraçado do meu telemõvel também decidiu pifar!!! Ahhhhhhhhh! Mas este FOI VER A COR DA PAREDE DO MEU QUARTO DE PERTO... Ficou a saber que é branca. E morreu!!! Hahahaha... Foi a minha vingança. Desopilei!

Acham isto normal? NÃO! NÃO É NORMAL! É COISA DO DEMO!!!

Cruzes, credo!!!

Graças a Deus voltou tudo ao normal. Para já...


P.S.: Agradeço os comentários deixados e prometo que amanhã respondo a todos. Bjinhos!