quinta-feira, 30 de abril de 2009

Felicidade...


«Houve reis que tentaram aprisionar a felicidade com o seu poder, mas ela não se deixou prender. Milionários tentaram comprá-la, mas ela não se deixou vender. Famosos tentaram seduzi-la, mas ela resistiu ao estrelato. Sorrindo, ela sussurrou ao ouvido de cada ser humano: "Ei! Procura-me nas decepções e dificuldades e, principalmente, encontra-me nas coisas anónimas da existência." Mas a maioria não ouviu a sua voz, e entre os que a ouviram, poucos lhe deram credibilidade.»

Augusto Cury, A Saga de um Pensador

terça-feira, 28 de abril de 2009

Em jeito de desafio...


... volto a publicar um post que já tem quase um ano.

Quem quiser fazer o desafio... be my guest! ;)

"O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis."

(Fernando Pessoa)

Momentos inesquecíveis…
O cheiro a café do pequeno-almoço que a minha mãe me trazia à cama aos fins-de-semana, junto com um bom dia radioso e um beijo cheio de amor… Saudades…
O contemplar o pôr-do-sol junto de um(a) amigo(a)… em silêncio. A melhor "conversa" que podes ter…
O prazer de atingires uma “meta” depois de muito trabalho e esforço…
O primeiro beijo…

Coisas inexplicáveis...
A minha fé… Não consigo explicar por palavras... Só sentindo...
Alguém me dizer: és bonita. … Mistério…
Uma amizade profunda… que começou não sabes como e se tornou tão vital como respirar…
O amor… apaixonar-se… isso não se explica… sente-se. Só.

Pessoas incomparáveis…
Jesus Cristo… A trave mestra da minha vida, o meu refúgio, a minha força… Personalidade tão incomparável que desde sempre, hoje e para sempre causará polémica, incomodará, agitará gerações e corações…
Os meus pais… os melhores do mundo e que fizeram de mim quem eu sou hoje… com tudo de bom e mau… ninguém é perfeito.
A minha melhor amiga… É peça única. Fizeram-na e deitaram o molde fora.
Os meus amigos… cada um à sua maneira… porque se os escolhi para amigos é porque são especiais… uns mais que outros mas todos especiais…

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Pois é...

... pensava eu que estava de volta. Enganei-me. Melhor ainda, enganaram-me!

Eu explico.


Estava a minha vidinha a entrar nos eixos, que é como quem diz, em horários e ritmos normais... cai-me em cima o novo sistema da acção executiva.


Como muitos de vocês já sabem, eu sou funcionária forense (e não, não tem nada que ver com autópsias! E isto ainda vai dar um post...), ou seja, trabalho com uma agente de execução (antes denominada solicitadora de execução... "agente" é mais chique... digo eu cus nervus...).

E como alguns de vocês devem saber, a tramitação de um processo executivo mudou muito. Basicamente, o Juiz deixa de ter parte activa no processo (analisar requerimentos, relatórios, proferir despachos, etc), com excepções de algumas situações que não interessa agora aqui explicitar e uma grande parte de todas as antigas funções do Juiz passam a ser assumidas pelo agente de execução. Quase se pode dizer que cada agente de execução passa a ser uma espécie de "Merdíssimo"... ups... desculpem... Meritíssimo.

Assim, a modos que muito resumidamente, as alterações introduzidas à acção executiva visam simplificar a vidinha aos agentes “não secretos” de execução.

E isto deve ser uma piada! Ou muito má (porque não me apeteceu rir, nem quando entrou em vigor nem agora!) ou de muito mau gosto (e neste último caso, acredito piamente que foi essa a intenção... ter mau-gosto!).

Porque, dizem eles os "cérebros" (esclareço que estou a ser irónica e sarcástica, para que não fique réstia de dúvida) que "reformaram" o processo executivo, que todas as mudanças levarão a uma acção executiva mais simples, célere e eficaz!

Só podem estar a gozar!!! Como querem eles que a acção executiva seja mais simples, célere e eficaz se nem sequer houve a preocupação de colocar essas mudanças cá fora com a antecedência necessária para que todos os envolvidos no processo pudessem preparar-se convenientemente para isso? Mais simples? Só se for para eles porque não têm de analisar requerimentos executivos, verificar se está tudo em conformidade com a lei, proferir despachos, etc, etc, etc... e, depois de tudo isto, ir atrás dos caloteiros, vigaristas, malabaristas e raças afins. Mais célere? Só se for a ida dos agentes de execução e dos seus funcionários forenses para uma instituição de saúde mental, vulgo "casa dos malucos" e isto porque parecemos umas baratas tontas às voltas com a nova lei, sem saber muito bem o que lhe fazer. Mais eficaz? Seria... se as ferramentas de trabalho e sistemas de apoio aos agentes de execução (vulgo Gpese, Citius/Habilus) funcionassem como deve ser e tivesse havido a preocupação de (in)formar os agentes de execução para que pudessem "pegar" nas novas acções executivas e trabalha as ditas com a mesma rapidez que faziam com as antigas.

Enfim... e como de costume, à boa maneira do "desenrascanço" à portuga, cá andamos nós aos papéis (quer dizer... aos papéis não será... será mais aos "bites" porque agora vai ser tudo via electrónica...).
E pensava eu que a minha vida estava a melhorar... pois...

E em jeito de "cereja em cima do bolo"... os crânios do Gpese (aplicação informática usada pelos agentes de execução para trabalhar os processos executivos) lembraram-se de colocar na página de autenticação para entrada na aplicação, esta coisa aqui em baixo, que além de me irritar profundamente, não funciona como eles dizem porque se colocarmos as "letrinhas" em Caps, o sistema dá erro e diz para tentarmos de novo! Grrrruunnnfffff!!!


sábado, 4 de abril de 2009

Estou de volta...

... mas sinto-me assim!




Quero fériassssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss!!!



P.S.: A quem me deixou mensagens, perdoem não ter respondido mas estive sem pc quase 3 semanas e no escritório (melhor... escritórios!) não dava nem para ligar o MSN! Prometo responder amanhã e dar a minha cuscadela habitual nos meus blogs favoritos e deixar a minha marquinha.


Bjinhos a todos ;)